População já vê resultados do novo plano municipal de segurança pública

Compartilhe

Pesquisar

Outros Municípios

TVC 01

Classicasa

classicasas

Guias e Informações

guia info

Conselho de Ética da Alerj que analisa cassar trio do PMDB votou em peso por soltura: 70%

lazaroni

TVC\G1

Gabriel Barreira

A maioria do Conselho de Ética da Alerj, que elegeu André Lazaroni (PMDB) como presidente do grupo nesta terça-feira (28), votou pela soltura de Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo há duas semanas. Agora, cabe a este mesmo grupo dar prosseguimento ou não ao processo de cassação contra o trio do PMDB preso na Cadeia Velha.

O número de deputados que votam no Conselho de Ética e que pediram a soltura chega a cinco de sete, ou seja, cerca de 70%. Três deles são do mesmo partido dos presos.
Veja abaixo os integrantes e suas respectivas posições:
André Lazaroni (PMDB) - soltura
Rosenverg Reis (PMDB) - soltura
Danielle Guerreiro (PMDB) - soltura
Carlos Osorio (PSDB) - prisão
Comte Bittencourt (PPS) - licenciado (diz que votaria pela prisão)
Iranildo Campos (PSD) - soltura
Chiquinho da Mangueira (Podemos) - soltura
Na próxima terça, o grupo se reúne para debater sobre o processo que poderia fazer os peemedebistas perderem o mandato por quebra de decoro. Mas é possível que a decisão demore, conforme apurou o G1.
Segundo Lazaroni, o documento assinado por 9 parlamentares da oposição tem um "vício formal" e é "um atropelo que descumpre a ordem do processo legal". No cabeçalho, em vez de se dirigir à Mesa Diretora, o documento se dirige diretamente ao Conselho de Ética, diz ele.
No fim das contas, aliados de Picciani ganhariam duas semanas até analisar, de fato, o mérito do processo: ele retornaria à Mesa Diretora, que tem cinco dias úteis para enviá-lo novamente ao Conselho de Ética. Como a reunião é dentro de uma semana, já seriam 14 dias de atraso.
Ainda que fosse aceito pelo grupo amplamente governista, o pedido de cassação só vai ao plenário da Alerj em até 90 dias após o eventual aval do grupo. Isto é, só depois do carnaval.

CCJ elege novo presidente
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) elege nesta quarta-feira (29) o novo presidente do colegiado. A reunião será realizada às 13h, no Palácio Tiradentes. O vice-presidente do grupo, deputado Chiquinho da Mangueira (PODE) é o atual presidente em exercício.
O cargo ficou vago depois que o deputado Edson Albertassi (PMDB) foi preso e afastado de seu mandato por determinação do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), na última terça-feira (21). O deputado Paulo Melo (PMDB), também preso e afastado do mandato, era integrante da CCJ. As vagas foram preenchidas, respectivamente, pelos deputados Gustavo Tutuca e André Lazaroni, ambos do PMDB, por indicação da bancada do partido.